segunda-feira, 12 de abril de 2010

RespirAR

Assistindo a uma rapidíssima entrevista de 3 minutos com a atriz Christiane Torloni, ao final ela diz uma coisa que me deixou pensativa: Respire, é isso que podemos fazer agora.

Respirar, algo aparentemente tão natural, mas que nos é tão caro nos dias de hoje, e nem percebemos. Pensei imediatamente nas pessoas que ficaram soterradas nos desabamentos que ocorreram nesta última semana no Rio de Janeiro. Aquelas imagens de lama sobre as casas, sobre as pessoas, não saem da minha cabeça. E fico a imaginar as últimas tentativas de se encontrar ar, de respirar em meio à lama, respirar lama, lixo e chorume. A última respiração. O último suspiro.

Muitas vezes me vejo procurando ar, tentando respirar. E encher de ar os pulmões nem sempre é coisa mais fácil e natural nessa vida. Quantas vezes você já se viu sem ar por aí? Sufocamos um monte diante de tanta perversidade humana, de tanto descaso político, de tanto desamor, de tanto choro, e passamos a achar normal o ar poluído, seco, ou tão úmido que chega a mofar nossa alma.

Como é difícil encher os pulmões de ar e gritar! Gritar contra tudo que nos agride, gritar pelos nossos ideais, pelo nosso amor.... Às vezes falta-nos coragem, e então engolimos um pouco de ar, vazio e com o amargo sabor da covardia.

Há muitos motivos pelos quais perdemos o ar, e a respiração fica quase impossível. Perdemos o ar de tanta raiva quando os políticos abrem a boca pensando que somos todos idiotas, tamanha nossa ira. Perdemos o ar quando a tristeza é tão grande e nada é capaz de consolar-nos, tamanha nossa perda. O ar desaparece quando o medo é tão absurdo que parece que vamos morrer, tamanho o susto. A respiração some quando nosso amor, aquele que planejou conosco todos os sonhos do futuro, diz que não nos ama mais e solta nossa mão, e o ar parece tão distante, e a vida tão pequena, tamanha desilusão.

Mas às vezes a gente fica sem ar por deliciosos motivos. Perdemos o ar quando nos deparamos inesperadamente com aquela paixão platônica exatamente naquele momento que estamos pensando nela, e o coração parece que vai parar, ou pular, e o ar parece que é pouco pra suprir tamanha felicidade. O ar some quando recebemos aquela notícia tão esperada, mas que as esperanças de recebê-las já estavam se esvaindo, e a mão chega ao peito querendo abrir o pulmão pra poder respirar, tamanha surpresa. O ar desaparece quando a alegria é tão grande que quase morremos de rir, e o pulmão parece que vai pra barriga, e parece que na falta do ar sai até lágrima dos olhos, tamanha satisfação. O ar desaparece quando aquele homem lindo, dos nossos sonhos juvenis - com aquela cara, aquela pele, aqueles olhos, aquele corpo - aparece "assim" no seu caminho, e o ar some, tamanha incredibilidade de que exista um ser desses dando sopa por aí. O ar, às vezes, some quando nosso amor está tão ardente, que não cabe mais dentro de um corpo, dentro de um quarto, e chegamos a ficar sufocados de tanto prazer, tamanha paixão. O ar some quando o carinho recebido é tão grande, que com ele somem também as palavras, tamanha gratidão. O ar simplesmente cede lugar às lágrimas quando vemos pela primeira vez aquele rostinho lindo, um misto do amor que se materializou na forma mais bela de pureza e encanto, tamanho nosso amor.

Respirar... A primeira e última coisa que fazemos na vida, e em dois momentos tão difíceis (não sei se para todos, mas para mim não existe morte fácil), e nem imagino qual desses é mais dolorido...

Respiramos, durante toda a vida, de várias maneiras. Ao nascer, há essa respiração sofrida, e deve doer muito para começar a respirar nesse mundo louco, e acho que é por isso que os bebês gritam tanto quando nascem. Passada a dor do parto, vários e intermináveis jeitos de se respirar: suave, ofegante, cansado, pausadamente, longamente, não importa, cada tipo de respiração representa uma emoção sentida, até que se chega à tão temida hora, e respira-se o último momento sentido (pelo menos nesta vida).

Respirar. Tão fácil e tão difícil. Cabe a nós filtrar.

17 comentários:

  1. Verdade...
    RESPIRAR...
    Tão simples, tão seguro, tão fácil...

    Quantas vezes precisamos apenas RESPIRAR, mas sequer conseguimos.

    Queremos tudo para ontem, do nosso jeito(às vezes, de qualquer jeito...) e esquecemos de simplesmente RESPIRAR... oxigenar o cérebro e seguir em frente...

    "Tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo..."

    ResponderExcluir
  2. Que lindo o seu texto! E saber que um dia vc foi minha aluna, e fez minhas provas... tudo isso me dá um orgulho grande!

    Seu blog está muito legal! Parecido com vc! Escreva sempre, ok?

    ResponderExcluir
  3. É isso mesmo Cíntia! É o nosso jeito mesmo, que muitas vezes, nos deixa sem esse ar, tão necessário. Obrigada por ter vindo!

    Obrigada, Fernando. Vc tbm é um pouco responsável por isso. Grande professor de português, de poesia e de vida!

    ResponderExcluir
  4. Oi Isa!
    Bom deixar seu pensar na Web, vamos navegando nessa rede e mergulhando nos post, articulando idéias, fazendo amigos, sorrindo mais intensamente, assim não sufocamos a voz, libertados respiramos melhor... Tempo de dizer o que pensamos. Liberdade impossível a três ou quatro décadas, são páginas viradas mas ressignificadas. Seja bem-vinda nessa troca de dizeres, continue a nos encantar.

    ResponderExcluir
  5. É magico saber que Deus nos confiou uma pessoa tão mistica e amadurecida como você. Tenho acompanhado sua evolução, um pouco de longe, mas com o coração muito perto. Garanto-lhe que cada vez mais você se mostra muito além de especial, creio que libertadora a ponto de nos fazer vibrar com tudo que emana de ti... um beijo, Linda! Obrigado por você nunca esquecer de mim. Ue a amo muito.

    ResponderExcluir
  6. Como vc não tinha me mostrado isso antes? Muito bom! Muito bem escrito e o principal: Uma mensagem linda :) Vou passar sempre por aqui :)

    bjs querida!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pela visita, Rocio! Que continuemos nos dizendo sempre!

    Altair, meu amigo mais q querido. Obrigada a você, q mesmo na distância está sempre por perto, e sempre me olhando com esses olhos cheios de beleza! Saudades, meu querido!

    Barão, eu não tinha te mostrado o blog antes, pq antes ele não existia! Pelo menos não fisicamente! rsrsrs. Obrigada pelos elogios e vai ser bom tê-lo sempre por aqui.

    Bjs, amigos!

    ResponderExcluir
  9. Que alegria poder dividir o ar que respiro contigo, seja essa uma tarefa fácil ou difícil - como bem retratado no seu texto, a verdade é que com você por perto é sempre melhor. Parabéns pela iniciativa e pela coragem! Adorei a mensagem! Você é linda! Demais!

    ResponderExcluir
  10. Ô amiga... Vc q é uma linda! Q bom ter vc cotidianamente me ajudando a respirar.
    Carinho:)

    ResponderExcluir
  11. daniela montechiare13 de abril de 2010 20:00

    Tudo que tem fôlego louve ao SENHOR!!!!!!!!!! Em meio a tudo isso tenho tentado respirar o amor de Deus. Concordo que está bem difícil e daí só com Ele mesmo para poder ter a certeza da felicidade. Beijos para ti, querida

    ResponderExcluir
  12. Ronaldo Fernandes13 de abril de 2010 22:13

    A arte do pensar, do refletir sobre assuntos diversos, coisas que "pinsamos" no nosso dia a dia, assuntos que discutimos, muitas vezes em monologos, pois hoje a arte de filosofar esta cada vez mais ausente, faz crescer nossa alma.
    Na mesma entrevista, Cristiane Torlone comentou que a burrice nas pessoas é algo que ela "odeia", porque a burrice é a preguiça de pensar. Portanto, refletindo sobre seu texto sobre o respirar, fiquei convencido que nossas autoridade, autoritárias, são burras, porque não conseguem pensar que o ser humano é humano e não pode, por nehum pretesto,viver no lixo social que vivemos ou morrer sem ar afogado em um lixão.

    Beijos do Sogrão

    ResponderExcluir
  13. Oi, Isa!

    Excelente texto! Confesso que fiquei chocado com a tragédia que aconteceu no Rio mas nunca havia pensado sobre a derradeira tentativa de "buscar" o ar. Talvez, pela quantidade de informações recebidas diariamente e que acaba por nos sufocar.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Dani, querida, obrigada pela interação e pela visão positiva da vida!

    É isso mesmo sogrão, o negócio é refletir e agir! Valeu pela visita!

    Oi Max! Que bom ver "carinha" nova por aqui! Obrigada pelo comentário e volte sempre!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. Amiga, você é uma gênia. Por trás desse cocão tem muita massa cinzenta! Que ogulho!

    ResponderExcluir
  16. É moranguinha... isso aqui não é só um corpinho bunito não. Quando dá a gente pensa!huahauuahauha!!!

    Ps. E gênia é vc! Afinal, quem tem mais cabeça pra guardar mais massa cinzenta hein???? Te amo, Rê!

    ResponderExcluir
  17. Pois é Isa, o respirar nos acompanha desde o início até o fim - para um novo recomeço - é o ciclo.
    E assim como a vida nos trás alegrias e tristezas o ar nos acompanha, exteriorizando o nosso intímo. Nos compensando muita das vezes, e outras, nos alertando. É uma maneira de nos mostrar o quanto somos frágeis e fortes, é belo, e ao mesmo tempo, assustador.
    É a vida.

    Beijos Leo

    ResponderExcluir