domingo, 20 de março de 2011

Verbete

Poesia é amparo
é aditivo para aguçar o faro
é raro paladar


Poesia é o lado de fora da caverna de Platão
e é também o lado de dentro da escuridão
Avesso da lucidez
Nacos de sensatez
Para a loucura é veneno e cura


Poesia é palavra cruzada no meio da estrada
é solução e também encruzilhada


Poesia é máscara e também espelho
é sol pintado de azul e céu de vermelho


Poesia e coisa de menino e menina
de mocinho e bandida
de gente simples ou bem sucedida


Poesia é descompassado coração
é calmaria e perturbação
é pieguice
é sofisticação


Poesia é café com licor
é destilar razão e amor


Poesia é tara
é tapa na cara
é lâmina na carne


Poesia é agulha alívio morfina


Poesia é vício de tatuar papiro


Sem ela eu piro.




QUEIROZ, Helen. In: Vício de Tatuar Papiro.

5 comentários:

  1. Isabele, preciso copiar!
    Demais!
    Maravilhoso ter lido isso. Vai pro meu controlc controlv. Pode?
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Claro, Leila!

    Poesia é também partilha!

    Beijinho e obrigada pela presença!

    ResponderExcluir
  3. ...poesia é tbm este teu canto
    de encanto.

    adoro...

    muitos beijos, querida!

    ResponderExcluir